Your address will show here +12 34 56 78
Conectados, Marketing Digital, Social Media (Partners)

Recentemente a internet viu um termo tornar-se popular como um cometa atingindo as redes sociais.

Tal como a disputa protagonizada por “raiz e nutella”, chegou a vez da richa entre Geração Z e Millennials tomar conta da internet, trazendo consigo um termo bastante curioso e conhecido apenas pelos mais jovens.

A palavra ‘cringe’, um verbo de origem inglesa (to cringe), traduzido como encolher-se de medo ou, ainda, acoar-se. 

Entretanto, há também o significado de uma palavra similar ao verbo to cringe, o adjetivo cringey, que realmente chegou ao vocabulário brasileiro.

O que é cringe?

Cringe, incorporado ao português, vem do significado de cringey, que significa algo que soa como esquisito ou estranho; o popular termo para vergonha alheia no Brasil.

Assim, cringe, de um modo geral, é utilizado para adjetivar situações/pessoas/ações que causam desconforto, vergonha ou estranheza.

Por que pensar antes de usar trends em campanhas de marketing digital?

Bom, já falamos sobre a pequena história recente deste mais novo boom da internet, que vez ou outra surge. 

Ano passado foi o “Roi, Letícia, né?”, o próprio “raiz e nutella” ou ainda o “cringe”. Bom, esses termos tornam-se trends, mas não deixam de ser o que o marketing digital vê como estratégia temporal. 

Ou seja, não passam de memes, que duram pouco tempo. Possuem uma ascensão rápida e uma queda ainda mais veloz. 

Por isso, é sempre importante ponderar antes de utilizá-lo como estratégia de marketing digital. Afinal, é preciso ter consciência e um planejamento por trás do uso.

Utilizando memes e trends nas redes sociais da empresa

É proibido utilizar memes nas campanhas? Obviamente não. Entretanto, o indicado é sempre utilizar os mecanismos temporais de divulgação da sua empresa.

Um exemplo é a opção dos stories, que duram 24 horas e depois desaparecem. Ou ainda o chamado ‘post reciclável’, que pode ser retirado do feed após algum tempo.

Da mesma forma que os memes, as trends têm uma expectativa de vida curta, portanto é sempre recomendado evitar em publicações de campanha ou ainda em contato com determinado público-alvo.

Foque na sua linguagem e saiba dosar a comunicação

Às vezes, por achar que a internet é uma zona mais livre para desprender-se um pouco da formalidade, é preciso sempre saber qual a linguagem funciona com o seu público.

Claro que uma linguagem excessivamente formal é complicado, pois o ambiente online não pede termos rebuscados ou ainda o português da norma culta e padrão.

Entretanto, também não é indicado ser demasiado informal, utilizando gírias, palavras descoladas ou ainda expressões do momento.

Isso porque, ninguém é obrigado a estar atualizado com o vocabulário do presente, como por exemplo o caso do adjetivo cringe, reverberado em várias campanhas de marcas pelas redes sociais.

Como deve ser a campanha e assim evitar ‘ser cringe’

Para evitar ser cringe é bom evitar o cringe. Pois bem, é sempre interessante estar no hype e entender o que acontece nas redes sociais. Tal como dizem algumas agências de propaganda, ser um “heavy user” de rede social.

No entanto, é sempre importante ter cuidado em três questões principais:

  • Não usar nas campanhas de tráfego pago;
  • Não utilizar ou tornar o meme como estratégia;
  • Evitar o desgaste;

Portanto, conheça seu público, converse com ele e, se for para usar memes ou temáticas do momento, dê preferência ao provisório, seja em posts, seja em stories – sendo estes a principal fonte.

No mais, siga o planejamento, crie o próprio conteúdo, a comunidade da sua empresa e, quem sabe, a partir disso não surja o meme interno capaz de marcar a sua empresa junto ao seu público-alvo.

Gostou? Deixe um comentário!

Share and Enjoy !

0Shares
0 0 0
0